Medo, crenças, informação e desinformação

Falar de saúde aqui em Moçambique é muito delicado, pois ainda existe muitas crenças, misticismo e eventos tradicionais que atormentam as pessoas. Digo atormentam não querendo desrespeitar as tradições, mas sim porque muitas vezes as pessoas se confundem, muitas vezes por medo, não sabem em quem acreditar, em um Doutor ou em um curandeiro, se seguem a ciência ou a tradição. E muitas vezes, talvez por não quererem acreditar na morte, justificam muitas doenças por maldições.

SIDA aqui é bem falado, mas de forma superficial no âmbito familiar. Quando morre alguém, mesmo que saibam que essa pessoa tinha SIDA, o que contribuiu para o falecimento dessa pessoa, não se fala nem se comenta sobre o assunto. A família muitas vezes preferem ignorar os fatos a fazerem o teste, se for o caso, se tratarem.

Eu não me recordo exatamente como isso começou, mas acabei ficando a pessoa responsável pela saúde da escola. Quando algém passa mal muitos alunos procuram a mim.

Com isso, uma noite os alunos vieram falar comigo que dois alunos estavam com malária, coisa normal, não apenas na escola, mas também no cotidiano das pessoas aqui. O espanto era porque estavam realmente muito maus, com calafrios e tremedeiras.

Organizei o carro e ambos foram direcionados ao pronto socorro, onde foram atendidos e medicados para malária.

O que me espantou, foi que mesmo depois disso, um desses estudantes ainda estava ruim. Chegou a receber uma dispensa para ir para casa e assim outos hospital. Voltou com receituario de mais de cinco remédios. Paracetamol, que eles dão pra tudo aqui e mais alguns que eu não consegui identificar. O problema era que esse rapaz, que a essa altura já estava muito magro e enfraquecido, já estava doente a mais de um mês e não havia com ele nenhum diagnóstico, apenas receitas de medicamentos, dos quais ao que me pareciam, não estavam fazendo nenhum efeito.

Inconformado com isso resolvi ir pessoalmente com ele ao hospital. La chegando copnversei com a médica que nos atendeu, pois creio que por medo de testes e de saber o que poderia ter, não estava falando tudo aos médicos que haviam atendo antes. Além disso eu sabia de outro estudante que eu ja estava acompanhando que teve Tuberculose.

Com todoas essas informações, caso de TB na escola, dores nas costas e tosse. Claro, solicitamos um RX.

Ao nosso espanto, esse Raio X veio com o lado esquerdo do pumão todo branco. O susto foi tanto que refizeram o Raio X mais duas vezes para se ter certeza. Foi detectado que ele estava com líquido no pumão e que o mesmo precisava ser retirado.

A essa altura não se tinha ainda a certeza de TB ou não, mas por precaução, liguei para a escola e pedi para que preparassem todos os estudantes que dividiam quarto com o Rafael, esse estudante que estava comigo no hospital e mais os outros que dividiam quarto com o estudante Celso, o outro aluno que teve TB e ainda está sobre tratmeto.

Eu fiquei muito assustado, e os alunos, claro, ficaram mais ainda. Como á dificil se mostrar forte e seguro diante de uma situação dessas.

Sendo assim o Rafael ficou internado para a retirada do líquido e mais análises, para se ter certeza do seu diagnóstico.

Os dias que se seguiram fortam de muita tensão.

Vim ao hospital com 15 jovens aflitos e eu estava tão aflito quanto eles.

Fizeram uma breve palestra explicando um pouco mais sobre TB e o que iriamos fazer. Foram passados um hemograma e um outro exame e mais o Raio X. A chapa tiramos nesse mesmo dia, quarta-feira, mas os outros exames agendamos para sexta-feira logo cedo.

De uma certa maneira eu fui me envolvendo mais com esses alunos, conhcendo-os um pouco mais, o que para mim foi muito bom. Apesar de termos a mesma idade me respeitam muito e percebem o que eu estou fazendo por eles.

Durante esses dias, entre a internação do Rafael na terça-feira e oa resultados de todos os exames dos outros 15 alunos na sexta-feira, as visitas ao hospital foram muitas. Eu realmente não gosto de hospital. Ver o Rafael dividindo quarto com pessoas muito doentes, pessoas realmente sofrendo. ..

Mas ao menos tudo isso terminou bem. Na sexta-feira ficamos sabendo que todos os 15 alunos e eu estavamos sem TB e que o Rafael, que já havia feito duas retiradas de líquido do pumão, receberia alta no sábado, podendo seguir o tratamento de TB na escola, sem risco de contaminar os demais estudantes.

Juntamente com tudo isso eu estava coordenando a visita de quatro conselheiros para a testagem voluntária de HIV na escola, que foi no sábado. Falamos muito de HIV, doença, tratamento e a importancia de se cuidar.

Moçambique tem um índice de HIV muito alto, sendo a média nacional de 11% e Gaza, a provincia em que trabalho é com o maior índice, chegando a 25% das pessoas infectadas. Isso são dados estatisticos, tomando como base as pessoas que fizeram o teste, o que torna o valor ao meu ver, possivelmente mais elevado.

Aluna da EPF Gaza observando os índices estatísticos de soropositividade em Moçambique durante o dia de combate ao HIV aqui na Escola de Professores do Futuro.

Começamos o sábado com uma assembléia onde falei mais uma vez ma importância de se cuidarem, de se saber se está doente ou não para buscar o tratamento correto, dando ainda o exemplo do Rafael, que sofreu durante mais de um mês por não saber o que tinha, mas que agora, devido ao diagnóstico correto, estava sendo devidamente tratado e ficará bem. Depois disso os conselheiros fizeram uma palestra sobre HIV e SIDA, onde tivemos uma boa participação dos estudantes. Seguindo assim para o teste voluntário.

Aqui o medo vem com toda força. Isso porque eles sabem dos números, sabem como se transmite e principalmente sabem que se colocaram em risco, pois a infidelidade aqui é constante, principalemnte por parte dos homens, que facilmente tem no mínimo duas esposas.

O dia todo eu fiquei conversando com os estudantes para incentivá-los a fazerem o teste. Foi muito trabalho, muita conversa, conselhos, medos e por que não brincadeiras, pra esconder o medo. Mas também muita alegria ao receber o resultado negativo.

Após fazer o teste, a alegria de saber seu estado é estampada na face do futuro professor de Moçambique

Fiquei feliz pois dos 200 alunos que temos, 98 fizeram o teste.

Semana que vem teremos mais uma vez e para isso trabalharemos mais com os funcionários, professores, esperamos assim que ao menos mais 100 pessoas façam o teste no próximo sábado.

Devido a todos esses fatos, essa semana, de 4 à 11 de Julho, foi bem turbulhenta para mim e bem tensa.

Mas algo me fez muito feliz. No sábado a noite temos sempre aqui na EPF a noite cultural, que é uma “festa” para descontrair os estudantes, organizada pelos mesmos e nesta noite os alunos, amigos do Rafael, aqueles mesmos que foram comigo ao hopital, fizeram um gesto de boas vindas para o amigo que estava internado e o mesmo agradeceu à todos pela energia, carinho e apoio que recebeu. Foi realmente muito bonito.

Anúncios

18 Respostas to “Medo, crenças, informação e desinformação”

  1. Laura Says:

    poxa, realmente é de se emocionar. Ainda agua mole em pedra dura tanto bate ate que fura. Ma se cuide tb , Um beijão, m~e.

    • demoraes Says:

      Oi mãe…. muito obrigado pelo apoio… eu continuo aqui.. trabalho de formiguinha…rsrs

      TE AMO MUITÃO

  2. Este è o santi que escreve,
    Eita Pedrao, fico arrepiado com estas suas istorias… disso falamos quando a gente diz que vai pra là pra fazer a diferença… ifco felizz de saber que uma pessoa como vc, com um coraçao maior que o mundo tudo, esta là, lutando com eles, aprendendo deles e encinando pra eles… nossa amigao, que forte vc vai ficar depois disto, mais ainda!!!!!!!!!!
    Adoro vc maninho, a saudades sao fortes!!!!!!!!!!
    Se cuida e nao duvide em pedir se precisar ajuda dalguma crase!

    • demoraes Says:

      Santi…
      Obrigado pela força… mesmo… muitas vezes penso em desistir e sair correndo pra casa… mas com mensagens de apoio como a sua maninho… nos dão mais coragem e força de continuar.
      Grande abraço..
      GO CRAZY

  3. Marcela Says:

    Pedro…
    Emocionante esta sua ultima semana…
    O processo de educação em saúde e assim mesmo, delicado, difícil e desafiante, pois envolve como você mesmo disse, crença, cultura, medo do desconhecido.Mas acredito que o caminho seja este mesmo que você está, trazer a estes jovens a realidade que estão vivenciando, para que você consiga não só os 98 como também os outros 102 estudantes…rsrsrs
    Força no seu caminho….
    Saudade gigante….

    • demoraes Says:

      Linda… pensei muito em vc essa semana… não sei como você consegue forças para lidar com a saúde o tempo inteiro.. essa coisa de cuidar da vida alheia… é muita responsabilidade, muito tenso.
      Parabéns pelo que você faz.
      TE AMO MUITÃO

  4. sheila Says:

    ai Pedrão!!!meu Pedrinho…que Deus ilumine teu caminho.se eu soubesse q vc ia ser o assistente de médico local teria te dado umas aulas…bom tratamento p TB não transmite dça após 15 dias de medicação. o dificil é fazer q completen o tratamento. não pense que aqui é mto diferente qto a dificuldade p diagnostico. só o índice conhecido de sida é menor. este valor aí me assustou. sida e tb estao habitualmente juntos!!! tem vacinação BCG por aí? imagino q não . é uma pena…vi uns tipos de complicação por TB no Py (onde não tem BCG) q só via nos livros. que bom q vc esta aí p ajudar. boa sorte! c dúvidas….bjs

  5. Évelin Says:

    Pê,tdo bem contigo?Aquele dia em que estávamos começando o nosso bom papo(hahaha), a energia acabou,tu não sabes como é morar noo lugar em que gerará energia pra todo o país,né!
    Cara,muitas saudades tuas,verdade verdadeira,porém,não só tuas,mais de todos vcs que ficaram no meu coração…hahaha!
    O meu msn sempre está ligado, e quando puder,abre a janelinha pra gnt se falar,viu?!
    Sem contar q qro fotos…muitíssimas fotos…daquelas que só tu sabe tirar.hahahaha
    Beijos e mais beijos e beijos!Te cuida!

  6. Ketty Says:

    Ola…
    Nao sei como cheguei aqui neste blog….
    Eu foi ai na mesma escola…na mesma casa no Abril 2007.
    Queria saber mais…sento muita falta dos estudantes.
    Alem de tudo pra mim foi uma experincia fantastica e inesquecivel.
    Boa sorte…e estamos juntos!
    Ketty

    • demoraes Says:

      Ola Ketty…entao vc esteve aqui em 2007..imagino que muita coisa mudou…rsr.
      A experiencia e realmente fantastica e inesquecivel.
      Estamos Juntos

  7. Bárbara Says:

    Parabéns, seu trabalho e a sua dedicação são muito bonitos e inspiradores… 🙂
    Boa sorte com tudo por aí… e que vc sempre tenha forças para poder ajudar essas pessoas que tanto precisam.
    E se cuida… bjão

  8. Ketty Says:

    Se possivel..queria saber mais….todas as mudanças…e se o meu grupo Socrates esta ainda ai…porque os outros ja acabaram…(da primeira turma)..
    o project manager è o mesmo…?
    Muitas coisas pra perguntar…
    Nao queira criar desturbo pra voce..mas se voçe teria um poucado de tempo…o meu endereço email è k.pan@libero.it

    Obrigada

    Ketty

  9. Negooo!! puxa, que loucura!!! meu Deus! vc é uma pessoa mto especial, com esse coração enorme e determinação! Tenho certeza de que seus alunos sao muito gratos pelo que vc fez e tem feito por eles e , acredite, um que você ajude já deve valer tdo e qualquer esforço, né!
    força aí!! Eu aquie stou cheia de saudades. pena que nao deu certo de eu ir aí te visitar.

    bjo graaande! te amo! se cuide!! luuuuz!!!!

  10. moço…..kd vc….saudades…..muita!!
    SABE DE UMA COISA????
    …vc sabe, né?? to aqui sempre! mande notícias!

    te amo!

  11. Nao sei se vcs ficaram sabendo, mas o Pedrao esta de viagem pelo Mocambique e por isso ele ja quase nao fica conetado….ele vai esatr viajando ate Novembro.

  12. Paulo Marcos Says:

    Ola Pedro…
    eu estava procurando algo a respeito de Nwachicoluane, e encontrei o seu blog… vi que voce esta no EPF em Gaza. Muito bom ver o resultado de um porjeto como este.
    Estou entrando em contato porque vi que voce esta na escola que estou indo agora em Novembro/Dezembro, pelo o mesmo projeto e organizacao (Humana People to People).
    Fico feliz por saber que o projeto esta tendo um bom andamento e que pessoas como voce/nos (Brasileiros… hehe) podemos mudar muitas coisas para muitas pessoas.
    Se nao for tomar muito o seu tempo, gostaria de saber um pouco mais sobre o projeto, como estao indo com as atividades, como sao as atividades… se tiver uma opiniao pessoal e alguma dica fico grato (as vezes de algo que seria bom fazer mas vc nao fez, ja que agora vc tem mais experiencia que antes, ou tambem algum tipo de material que voce acha que seria importante levar).
    Estou perguntando porque eu ja falei com o Project Leader (Robert.. neh?!) e ele disse que esta tudo indo muito bom, mas eu vi o seu blog e me interessei em perguntar para um DI, para saber realmente a opiniao de uma pessoa que esta na mesma posicao que eu estou indo…assim ficaria um pouco mais claro para mim…

    Gostei muito de seu blog, ate me interessei em fazer um similar quando eu estiver no projeto, e bom para passasar o que vivemos para as pessoas que conhecemos… muito bom msm… =]

    Ahh…Em qual escola vc fez o curso?
    Obrigado pela atencao, aguardo sua resposta.
    email: paulo.cicd@googlemail.com

    Paulo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: